• Home
  • Minhas entrevistas
  • Blog Blogando com os espiritos
Quarta, 12 Abril 2017 01:50

Entrevista 01

Entrevista dada ao blog : http://blogandocomosespiritos.blogspot.com.br

Rita de Cássia Ramos Cordeiro é casada e tem 01 filho de 15 anos chamado Jonathan. Fundou no ano de 2.000 o 1º Clube do Livro Espírita da cidade de Itu.

Foi a fundadora do CAVI - Centro de Ação Voluntária de Itu, onde foi presidente por três gestões e participou da diretoria por 10 anos.

Fundou o Instituto Beneficente Chico Xavier da cidade de Itu - SP no ano de 2010 onde realiza um trabalho de divulgação da Doutrina Espírita.

É articulista, editora e desenvolvedora de conteúdo do site do Instituto Chico Xavier www.institutochicoxavier.com
Fundou no ano de 2012 o Clube do Livro Espírita Emmanuel www.clubedolivroemmanuel.com.br que faz parte do Instituto Chico Xavier, que agrega associados de todo o Brasil, onde atua como coordenadora.

Tem publicado um romance espírita "Nas Garras do Tempo" pela Mythos Editora.
Desde 2014 trabalha atua como desenvolvedora de conteúdo do site do Grupo de Apoio à Adoção Virtual www.viveramornafamilia.com.br um grupo de apoio virtual de adoção de crianças e adolescentes, adoção tardia, formação da família. Em 2016 criou o site www.aservicodobem.com.br onde é desenvolvedora de conteúdo.

A Entrevista

Agnaldo: Como e por que você ingressou na Doutrina Espírita?
Rita Ramos: Sou espírita desde o ano de 1996, quando entrei para a Doutrina Espírita pela dor, devido a um problema de saúde e por ter muitos questionamentos íntimos por qual passava naquela época. Um dia eu estava passando na frente de uma Casa Espírita, anotei o endereço e dias de funcionamento e voltei naquela mesma semana e por lá fiquei por muitos anos.

Agnaldo: O que lhe mais lhe impressionou/apaixonou na Doutrina Espírita?
Rita Ramos: O que me encantou na Doutrina Espírita é a lucidez e sabedoria com que nos são passados alguns conceitos como: de onde viemos, para onde vamos, qual o objetivo de nossa existência terrena e o motivo da dor e sofrimento.

Agnaldo: Qual a principal mensagem espírita?
Rita Ramos: Gostaria de deixar aqui uma frase de Eurípedes Barsanulfo que norteia meu caminho:
“Aqui mora a fé, sublime qualidade daqueles que jamais deixarão de acreditar na força superior do Bem”

Agnaldo: Durante seu tempo como espírita, certamente você teve alegrias e momentos menos felizes. Você poderia nos contar alguns desses momentos que lhe marcaram como espírita?
Rita Ramos: Meu momento mais difícil foi quando por medo e insegurança, duvidei de minha capacidade de abraçar o meu trabalho de divulgação na seara espírita, mas foi um grande aprendizado que permitiu me fortalecer para seguir neste caminho. Os momentos mais felizes desde que entrei no Espiritismo vivencio até hoje, quando tenho o prazer de divulgar a Doutrina Espírita, através de meu trabalho como divulgadora e como coordenadora do Clube do Livro Espírita, sempre com o apoio de minha família, que não é espírita.

Agnaldo: Para você, o que é Espiritismo?
Rita Ramos: O Espiritismo para mim é a forma mais bela e esclarecedora que nos foi passado de herança pelos Espíritos Superiores para nos trazer conceitos, princípios e informações até então inexplicáveis e pouco compreendidos. Nos trouxe consolo e fé para as adversidades da vida e nos complementa os ensinamentos de Jesus.

Agnaldo: O Espiritismo é uma Religião?
Rita Ramos: O Espiritismo não é uma religião no sentido comum em comparação de outras religiões existentes, pois não tem dogmas, mitos, crendices e nem hierarquia sacerdotal. Mas pode ser considerado uma religião pelo aspecto moral e pela ligação que temos com a Providência Divina e também pela vivência aos ensinamentos de Jesus.

Agnaldo: Allan Kardec recomendava a atualização periódica dos ensinamentos espíritas, em face do avanço da ciência. Como por em prática tal recomendação?
Rita Ramos: Em primeiro lugar mantendo a mente aberta para novos conceitos, porém, tendo sempre o discernimento de ter os ensinamentos contidos nas obras básicas codificadas por Allan Kardec como suporte para estes aprendizados. Novos ensinamentos virão para complementar a obra de Kardec, porém os ensinamentos que nos foi passado por ele, nunca estarão ultrapassados. Quanto mais estudarmos as obras básicas, mais conheceremos o Espiritismo.

Agnaldo: O fanatismo religioso atinge seriamente quase todas as religiões e, infelizmente, parece que não é diferente no meio espírita. Qual é a sua mensagem àqueles que incorrem nesse erro?
Rita Ramos: A verdadeira religião não é baseada em verdades absolutas e sim numa fé raciocinada. Ela não está num templo, está dentro de nós e nos ensina a amar e respeitar nossos semelhantes independente de suas crenças e dogmas. No torna melhores a cada dia, exemplificando os ensinamentos de Jesus. Minha mensagem é que sigamos sempre os ensinamentos de Jesus e façamos ao próximo o que gostaríamos que fizessem conosco, se assim procedermos não nos tornaremos fanáticos religiosos.

Agnaldo: Você acha que a expansão do Espiritismo pelo mundo, deveria ser mais rápida? Você acha que os espíritas deveriam ser menos acomodados? Se assim for, como agilizar esta expansão?
Rita Ramos: Nos dias de hoje, com a era da Internet e das redes sociais, o Espiritismo está sendo propagado com muita rapidez, pois seus ensinamentos não ficam restritos apenas às Casas Espíritas e isso faz com que milhares de pessoas busquem o conhecimento da Doutrina Espírita. Há uma grande quantidade de tarefeiros de Jesus que se empenham e que se comprometem pela divulgação da Doutrina Espírita por todo o Brasil. O comodismo não é somente um privilégio dos espíritas, mas do ser humano, que está acostumado a ficar em sua zona de conforto dentro de seus lares. Mas penso que a melhor forma de incentivar as pessoas à prática do bem e também na expansão do Espiritismo é pelo exemplo

Agnaldo: Quantos e quais livros você escreveu e qual o que você mais gosta?
Rita Ramos: Publicado tenho apenas o livro chamado Nas Garras do Tempo, pela Editora Mythos, mas já tenho mais duas histórias terminadas, aguardando possíveis publicações. Não tem uma história que eu goste mais, pois cada uma é importante pela narrativa e pela vivência de cada personagem. Mas o livro Nas Garras do Tempo é especial por ter sido escrito num momento em que eu estava conhecendo profundamente a Doutrina Espírita e vivia um constante encantamento por tudo o que estava aprendendo.

Agnaldo: Por último, o que gostaria de dizer a todos aqueles que procuram pela primeira vez a Doutrina Espírita?
Rita Ramos: Muitas pessoas que buscam o Espiritismo, decepcionam-se pela Casa Espírita que frequentam acreditando que estes lugares farão milagres e resolverão todos seus problemas e sofrimentos. Num primeiro momento isso pode acontecer, pela receptividade que estes novos adeptos colocam na Doutrina Espírita, mas com o tempo, ao ver que seus problemas não são resolvidos, culpam a Doutrina ou a Casa Espírita, mas esquecem que a cura para as angústias, sofrimentos e dificuldades está dentro de cada um.

Para que esta decepção não gere um afastamento que muitas vezes pode ser doloroso, recomendo que as pessoas busquem sempre o conhecimento da Doutrina Espírita através da leitura, das obras básicas de Allan Kardec e dos livros complementares que foram surgindo. Aliado a isso procurem sempre vivenciar os ensinamentos de Jesus, pois a Doutrina Espírita nos mostra o caminho, mas a vivência precisa vir de nós.

Agradeço a você Agnaldo pela oportunidade de poder escrever para os leitores de seu blog e convido todos a conhecerem o site www.institutochicoxavier.com