Domingo, 24 Fevereiro 2019 01:02

Recomeçar é preciso



Por: Rita Ramos Cordeiro

Muitas pessoas se perguntam: O que acontece se eu partir hoje sem me reconciliar e demonstrar meu amor aos meus entes queridos?

Antes de responder é importante explicar que as pessoas que fazem parte de nosso grupo familiar não estão ali por acaso.

O Pai da Vida por todo o amor que tem por nós, através da reencarnação nos dá quantas oportunidades forem necessárias de nos reconciliar com quem um dia fizemos algum mal ou que nos fez mal.

 

Esta união só é possível através do véu do esquecimento do passado, pois se soubéssemos o que nossos amigos ou familiares nos fizeram em outra vida ou o que nós fizemos a eles, não aceitaríamos a convivência, de tão dolorosa que seria.

Com o esquecimento do passado temos a oportunidade de recomeçar do zero e esquecer mágoas, ódios e ressentimentos, para reaprender a amar.

Porém estes sentimentos de outras vidas ficam gravados em nosso psiquismo, em nosso subconsciente e um dia pode ou não aflorar em determinada época de nossa vida.

Estes sentimentos afloram com permissão da Espiritualidade Maior e serve como um grande aprendizado que precisamos passar.

Nestes momentos somos testados em nossos sentimentos para termos a oportunidade de finalmente mostrar que o passado de outras vidas realmente ficou para trás.

Muitas pessoas porém não conseguem se reconciliar por orgulho, ressentimento, mágoa, raiva, consequentemente criando separações muitas vezes de difícil solução. Este é o momento de perdoar.

É o momento da reparação, mas sentimentos menores tomam conta, trazendo a separação e afastamento.

O tempo permite às pessoas grandes momentos de reflexão para uma possível reconciliação, se houver o desejo de perdoar.

Alguns irmãos não desejam perdoar ou não tem o tempo necessário para esta reparação e voltam para o seu lar de origem, muitas vezes com sentimento de culpa, remorso e até mesmo ressentimento.

Mas a Providência Divina é tão perfeita e maravilhosa, que no momento certo reunirá novamente estas almas para uma nova tentativa de reparação e reconciliação.

Quem foi pai, pode nascer como filho, como mãe, como amigo, como irmão ou qualquer outra roupagem terrena.

É importante entendermos que teremos outras vidas e outras oportunidades para nos reconciliar com nossos irmãos do caminho.

Melhor seria aproveitar a oportunidade desta encarnação para não termos que repetir a lição numa próxima existência, para assim seguirmos nosso aprendizado com o espírito em paz.

Seja qual for a dificuldade que temos para isso, nada como viver um dia de cada vez, deixando o tempo nos dar a oportunidade de refletir e mudar.

Mas todo dia é dia de recomeçar, de tentar ser melhor, procurando vencer todas as imperfeições que ainda estão tão latentes dentro de nós.